Solidão companheira. Nao te temo, nem te venero.

Respeito o teu tempo e no silêncio que me dás, tantas vozes, tantas cidades repletas de venturas e desventuras, preenchendo o espaço que no vazio se enche de ti.

No teu abraço, sou tanta gente, tantos lugares, tantos sorrisos.

Mas se me faltas, sufoco, porque no burburinho do mundo, não sou mais que homem só na imensidão dos corpos.

2 thoughts on “

  1. Avatar

    Percebo este texto… não mais que ninguém, não melhor que a maioria, mas sinto o, porque sou o palhaço inúmeras vezes! Mais uma vez obrigada, Baltazar!

    1. Baltasar Sete-Sóis
      Baltasar Sete-Sóis 27 de Março, 2018 — 21:03

      Obrigado Célia!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close