Se sentes o desprezo de todos aqueles que não comungam da tua ideologia politica e se te choca a ostracização por parte de terceiros porque opinas de forma contrária à sua, demonstras que os teus ideais são menos nobres e por isso perdes o valor.
Tudo isso, porque ninguém pode estar acima das ideologias dominantes e tu, enquanto pessoa, não vales nada!

Quando o amor que te dedicam não é correspondido, és tido como frio e insensível porque não podes satisfazer os desejos e os afetos que por ti alimentam. A dor que sentes, por não poderes corresponder a esse amor, não é mais do que a demonstração de uma gélida e apática e indiferença.

Tudo isso porque ninguém gosta de ser rejeitado quando ama e tu, enquanto pessoa, não vales nada.

Quando o teu credo não segue o rebanho, ou quando a tua fé não se ocupa de invisíveis e misericordiosos deuses, veem-te como a personificação do mal porque o bem só é reconhecido quando ostentas a bandeira da hipócrita bondade.
Tudo isso, porque ninguém pode estar fora da religião nem indiferente aos deuses e tu, enquanto pessoa, não vales nada.

Se não segues o padrão, se não tencionas casar com alguém do género oposto, se decides que o corpo que tens não acompanha o espírito que te domina, és uma aberração da natureza.
Por isso, e porque ninguém pode afastar-se dos estereótipos, enquanto pessoa, não vales nada.

Se não comungas da mesma cor, se a herança familiar te faz estar do lado contrário do campo, tornas-te responsável por todo o mal e por toda a derrota alheia e pagarás, se preciso for, com a própria vida.
Por isso, e por não teres o direito de apoiar uns e de discordar de outros, enquanto pessoa, não vales nada.

Se queres proteger um amigo, se o chamas à razão ou se pretendes ajudá-lo a encontrar um caminho menos tortuoso, discordando das suas escolhas, serás repudiado, porque amigo é quem diz “sim” a tudo, ainda que para isso tenha de recorrer à mentira. Então não és amigo, és onça.

Por isso, e por não teres direito a ser verdadeiramente honesto com os que mais amas, enquanto pessoa, não vales nada.

Publicado em Bird Magazine.

Raul Tomé ☀ Balthasar Sete-Sóis

About Raul Tomé ☀ Balthasar Sete-Sóis

Raul Tomé é licenciado em Sociologia, Mestre em Ciências do Trabalho e Relações Laborais e Pós-Graduado em Políticas de Igualdade e Inclusão.
Ex-cronista do Jornal Negócios, autor e co-autor de artigos científicos, colabora actualmente com a revista Repórter Sombra.

Poderá gostar também de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *